Transtorno da ansiedade generalizada

Nervosismo, impaciência e os famosos “tiques nervosos”. Estes são alguns dos sintomas de ansiedade. Apesar de ser comum sentirmos ansiedade em alguns momentos, quando ela se dá de forma excessiva ou sem reais motivos pode levar o indivíduo a contrair os sintomas do transtorno da ansiedade generalizada (ou desordem da ansiedade generalizada, como também pode ser conhecida).

A ansiedade trata-se de uma sensação decorrente de intensa excitação do sistema nervoso central frente à identificação ou antecipação de algum perigo ou obstáculo potencial. Este é um mecanismo de defesa do nosso organismo que visa nos conscientizar de que algo ruim pode acontecer.

O transtorno da ansiedade generalizada trata-se de um tipo de desordem de ansiedade.

Você deve saber o que é a ansiedade, mas… você conhece os sintomas que a mesma provoca em nosso organismo quando desencadeada?

Principais sintomas da ansiedade

Apesar de o simples fato de estar ansioso não significa que se encontra em um quadro patológico (isto é, que a pessoa possui um problema ou doença a ser tratado), podemos destacar os sintomas perceptíveis em pessoas que se encontram ansiosas. Algumas das características perceptíveis são:

  • O indivíduo pode apresentar um problema de auto-estima, sentindo-se incapaz de executar certas tarefas, principalmente aquelas que visam enfrentar o “perigo temido” que desperta sua ansiedade;
  • Aumento das chances de desenvolver problemas de saúde como a taquicardia, hipertensão arterial e outros problemas cardiovasculares;
  • Desencadear o surgimento de transtornos obsessivos-compulsivos, desde hábitos aparente banais como roer unhas a problemas sérios que podem levar a pessoa a afastar-se do convívio social com outras pessoas;
  • Alterações no comportamento cotidiano, por exemplo, desenvolver a “necessidade” de comer muito mais do que o necessário, o que pode levar a um grande ganho de peso;
  • Falta de ar, nervosismo, suor excessivo e problemas digestivos (enjôos, prisão de ventre) ou psicológicos também podem ser desencadeados;
  • Desenvolvimento de fobias;
  • Humor bastante instável, podendo sentir-se irritado facilmente;
  • Submissão ao tabagismo, alcoolismo ou a medicamentos a fim de aliviar seus temores e tensão que sente;
  • Sentimentos e impulsos auto-destrutivos;
  • Preocupação excessiva.

Como se pode perceber, o quadro de sintomas físicos e psicológicos é bastante extenso, mas são nos sintomas psicológicos onde se encontra grande parte do perigo, pois podem ser mais difíceis de serem detectados.

Como controlar a ansiedade

O primeiro passe no controle e/ou tratamento da ansiedade é o indivíduo conscientizar-se de que possui um problema e que deve saná-lo.

A partir de então, identificar causas e agravantes de sua ansiedade é importante a fim de que possa suprimir os mesmos. Por exemplo, uma pessoa que passa por grande ansiedade devido a muitas preocupações profissionais e esgotamento diante de uma pesada jornada de trabalho pode precisar afastar-se um pouco de sua rotina em seu emprego e buscar meios para restaurar o seu equilíbrio emocional.

E com o intuito de restaurar sua harmonia, pode-se fazer uso de técnicas de relaxamento, como meditação, yoga ou a prática de exercícios físicos leves, como caminhadas.

Em caso de quadros mais graves e SOB A ORIENTAÇÃO MÉDICA, o paciente pode fazer uso de medicamentos e calmantes.

Um dos passos mais importantes no controle ou tratamento é a identificação da causa bem como a busca de uma solução ou forma de amenizar o problema. Medicamentos ou métodos para relaxar não serão efetivos suficientemente se “a raiz dos problemas” persistir a causar mal. No caso do paciente cujo problema é uma rotina muito pesada de trabalho não quer dizer que ele terá que abandonar o emprego, mas sim que ele precisará distribuir e realizar melhor suas atividades sem prejudicar seus momentos de lazer ou com sua família, enfim, sem que isso leve a uma perda na qualidade de vida.

O acompanhamento de um psicólogo não deve ser subestimado!

As mulheres e a ansiedade

Devido às suas atividades diárias e características biológicas, o número de mulheres em quadro de ansiedade generalizada é duas vezes maior que o número de homens. Além disso, as chances são maiores até os 20 anos de idade.

Referências Bibliográficas Externas

AJUDA EMOCIONAL.COM, Como saber sobre a ansiedade

PSICOSITE, Ansiedade generalizada

VILA EQUILÍBRIO, Como controlar a ansiedade

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Email
Print