Psicoterapia

Até os dias atuais, as pessoas ainda se confundem sobre o que é psicoterapia e que tipo de trabalho um psicoterapeuta desenvolve. Apesar de ser muito falado e pouco entendido, o termo psicoterapia é definido como um processo terapêutico que pode ser realizado tanto por psicólogos quanto por psiquiatras e que visa ao tratamento das desordens mentais que afetam os seres humanos, objetivando uma melhoria na qualidade de vida.

Principais características da psicoterapia

Segundo profissionais da área de saúde mental, através de seus métodos e técnicas,  a psicoterapia é um dos principais  processos terapêuticos para tratar os transtornos mentais. Dentre os objetivos relevantes da psicoterapia podem ser destacados:

  • Contribuir para o desenvolvimento dos sistemas mentais e do funcionamento psíquico dos pacientes promovendo uma melhora considerável em suas relações interpessoais abrangendo os setores profissionais, emocionais e sociais;
  • É realizada  por profissionais da área de psicologia ou psiquiatria que através de técnicas específicas conseguem atuar sobre o estado emocional do indivíduo;
  • A psicoterapia com seu conjunto de procedimentos terapêuticos pode ser empregada em vários contextos, como por exemplo a terapia com casais, em grupo, individual ou familiar de acordo com a demanda e necessidade do momento;
  • A psicoterapia utiliza como base os pressupostos da psicologia enquanto ciência: O tratamento é realizada através de consultas de mais ou menos cinquenta minutos em um ambiente adequado para tal procedimento.

Etapas do processo terapêutico

Segundo teóricos, a psicoterapia pode ser dividida em quatro fases que estão interligadas entre si, mas que serão demonstradas aqui em separado apenas para uma melhor compreensão de cada uma:

Na primeira fase há a definição do diagnóstico, onde o psicoterapeuta deve decidir qual a melhor terapêutica que usará naquele caso específico;

Na segunda fase deve haver uma estruturação da linha teórica que o psicoterapeuta decidiu seguir para tratar seu paciente, além de haver a promoção de uma empatia entre os dois;

Na terceira, há a utilização da psicoterapia propriamente dita, com as diversas técnicas existentes baseadas nos pressupostos teóricos que as sustentam;

E finalmente na quarta fase há uma avaliação de todo processo terapêutico, onde a psicoterapia poderá ser encerrada ou não, dependendo da condição mental do paciente.

Psicoterapia e suas perspectivas teóricas

Segundo estudiosos na área de saúde mental, a psicoterapia pode ser classificada, para um melhor entendimento, de acordo com suas perspectivas teóricas em:

Cognitivo-Comportamentais: Nesse tipo de psicoterapia os transtornos mentais são explicados pelas interações do paciente com o meio em que vive e com a aprendizagem que teve durante sua vida. O objetivo principal é proporcionar ao individuo o controle das situações, percepções e emoções de sua vida.

Psicodinâmicas: A explicação para os conflitos existentes na vida atual do individuo teriam origem em conflitos existentes na infância. O método interpretativo é utilizado para fazer com que o paciente entenda melhor seus sonhos ou atos falhos.

Existencial-Humanistas: Esta perspectiva se concentra na experiencia atual do individuo, e pressupõe que os conflitos surgem em decorrência de uma inadaptação entre as várias experiências vivenciadas pela pessoa e a imagem que tem de si própria.

Psicoterapia da Comunicação: Nesta psicoterapia há a busca de uma estrutura de comunicação que atenda às necessidades do individuo de se comunicar de uma maneira efetiva, conseguindo resolver seus atuais conflitos emocionais.

Por Salete Dias

Se você gostou deste artigo, então que tal...

Psicologia clínica

Psicopedagogia

Psiquiatria

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Email
Print