Archive for Colesterol

Três coisas a evitar para combater o colesterol ruim

Você provavelmente já leu muitos bons conselhos que há por aí. Muitas dicas aqui compartilhadas podem ser-lhe bastante úteis, se aproveitadas de forma adequada, mas talvez não sejam completas. Em outras palavras, não basta saber o que fazer, você também precisa saber o que não fazer. Em outras palavras, sabendo-se o que deve e o que não deve ser feito (e por que não deve) temos melhores chances de sucesso, superando-se assim os obstáculos.

O foco deste nosso artigo é, então, dicas para que você possa, sozinho, combater o colesterol ruim. Lembre-se que esta é uma lista de coisas a evitar, não a se fazer, quando se quer alcançar uma saúde melhor por meio de uma alimentação e estilo de vida mais saudáveis.

Agora que, espero, você já entendeu nosso objetivo, vamos ver algumas coisas que merecem um sonoro “não faça isso”:

1. Comer frituras

Pode até parecer uma boa ideia a princípio, afinal de contas, quem não gosta de comer um hambúrguer ou mesmo batas-fritas? O problema é que tais alimentos são geralmente preparados em óleo, o que faz com que tenham um maior teor de colesterol ruim.

Uma alternativa melhor seria consumir outros lanches mais saudáveis, não preparados em óleo e, se possível, caseiros, evitando-se assim os conservantes excessivos.

2. Ter uma vida sedentária

A melhor razão para isso é que quanto mais sedentária é a nossa vida, mais facilmente o colesterol ruim deposita-se sobre as paredes dos vasos sanguíneos, formando placas que poderão prejudicar a circulação sanguínea.

O melhor a ser feito, nesse caso, é praticar muitas atividades físicas, como caminhadas ou corridas, algum esporte, etc. Quanto mais ativa for sua rotina diária, melhor será para a sua circulação sanguínea.

3. Não consumir óleos vegetais

Claramente isso é ruim, pois óleos de origem vegetal são ricos em colesterol bom, que ajuda a combater o colesterol ruim. Um óleo vegetal bastante conhecido e recomendado é o azeite de oliva, que pode ser usado, por exemplo, na preparação de saladas. Aqui, o truque é inseri-los de forma moderada em sua dieta – também não é bom abusar deles! – a fim de tirar o melhor proveito possível desses óleos.

É sempre bom prevenir-se quanto aos três itens aqui apontados, tomando nossas sugestões de alternativas se você desejar, afinal de contas, não podemos alcançar o que desejamos se não formos cautelosos em nossa jornada.

Comece hoje mesmo a combater o colesterol ruim e aprenda mais em nosso blog!

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Abacate no combate ao colesterol ruim


Provavelmente você já ouviu falar no colesterol e o imagina como um grande vilão para o corpo humano, mas esta pode ser uma imagem equivocada do mesmo. O colesterol possui também um papel importante em nosso organismo, participando da formação das membranas celulares bem como da síntese de certos hormônios. Entretanto, é preciso atentar-se que há dois tipos de colesterol, um que apresenta muito mais benefícios ao nosso organismo e outro que pode causar os males tão discutidos ao nosso organismo.

Para aqueles que talvez não saibam, parte do colesterol existente em nosso corpo é produzido internamente, pelo nosso fígado. Outra parte é obtida por meio dos alimentos. Dois são os tipos de colesterol, o HDL, ou lipoproteína de alta densidade, conhecido por trazer inúmeros benefícios para nós, e o LDL, ou lipoproteína de baixa densidade, geralmente conhecido por seus possíveis malefícios, uma vez que o mesmo pode acumular-se nas paredes dos vasos sanguíneos, formando placas que podem dificultar o fluxo, provocando assim problemas cardiovasculares. É, portanto, o LDL conhecido como colesterol ruim.

Algo importante a se observar é o fato de que o colesterol bom, o HDL, pode ajudar no combate ao colesterol ruim, de tal forma que é recomendado o consumo de alimentos que sejam ricos no mesmo. E o abacate apresenta bons índices de HDL, sendo portanto interessante o seu consumo por quem deseja reduzir os níveis de colesterol ruim.

Muitos acabam por considerar o abacate como uma “fruta ruim”, por apresentar bastante gordura, acreditando assim que o mesmo pode causar o aumento do peso, mas as gorduras presentes no abacate são monoinsaturadas, interessantes para o nosso organismo (há, por exemplo, vitaminas lipossolúveis, isto é, solúveis somente em gordura, de tal forma que índices muito baixos de gordura por levar a uma não correta absorção das mesmas). Outra coisa interessante é que o consumo do abacate provoca a sensação de saciedade.

Vale lembrar também que o consumo de abacate também contribui para desacelerar o processo de transformação de carboidratos em açucares, reduzindo assim os níveis sanguíneos de glicose. Desta forma, o abacate também pode apresentar algum benefício no controle do diabetes (claro, seu consumo não substitui a importância do acompanhamento médico, bem como da utilização dos medicamentos prescritos!), além do combate ao colesterol ruim.

Bem, você agora sabe muito mais sobre o abacate e como o mesmo pode ajudá-lo no combate ao colesterol ruim, fica a seu cargo utilizar-se desta informação para o seu benefício!

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Colesterol e exercícios físicos

O colesterol é um “vilão ou um mocinho”? Depende da forma que ele é apresentado, sendo lipoproteína de baixa intensidade (LDL) é um “vilão”, mas sendo lipoproteína de alta intensidade (HDL) ele é um “mocinho”. Isso porque, na verdade, o HDL combate o LDL.

O colesterol é – formado por substâncias lipídicas – nada mais do que gordura no nosso corpo. Tais gorduras são necessária para um bom desempenho de variadas funções do nosso organismo como, por exemplo, as nossas características sexuais secundárias (atuando na síntese dos hormônios progesterona, estrogênio e androgênio, que são os responsáveis por tais finalidades), além de servir também como fonte de energia no desempenhar de outras funções do organismo.

As fontes alimentares de colesterol são carnes e os seus derivados, mas o fígado também fornece colesterol para o nosso organismo. Por isso se faz necessário a preocupação com a ingestão de alimentos gordurosos, já que o corpo é naturalmente provido dele o seu nível pode se elevar facilmente, podendo ocasionar diversas complicações de saúde.

Existem algumas enzimas que influenciam no nível de colesterol bom e ruim, são elas:

  • LPL – encontrada no coração, nos músculos, no armazenamento de gordura e nos vasos sanguíneos – responsável pela destruição de triglicérdes e o aumento do HDL, mas quando a LPL está em nível baixo o risco de doenças cardiovasculares é aumentado;
  • HL – responsável pela diminuíção do HDL e o aumento do LDL, aumentando assim, o risco das doenças cardiovasculares;
  • LCAT – responsável, por sua vez, pela retirada do colesterol das paredes arteriais.

A atividade física pode alterar, em quantidade, o número dessas enzimas citadas acima, tanto aumentando as que favorecem a nossa saúde quanto reduzindo as que são prejudiciais. Além de reduzir também os triglicérides e o colesterol total ( HDL + LDL), com ênfase na redução do LDL.

A aterosclerose é uma das principais doenças causadas pelo excesso de colesterol nas paredes arteriais. Ela é uma doença que enrijece e estreita o calíbre das artérias, por calcificar e alterar a composição fibrótica dos vasos, reduzindo assim o fluxo sanguíneo e levando a possíveis infartos e ataques cardíacos.

Veja abaixo os limites do nível de colesterol total:

  • Desejável – < 200 mg/dl;
  • Aceitável – 200 < 239 mg/dl;
  • Elevado – > 240 mg/dl.

Portanto, deve-se ficar de olho na alimentação e no controle dessas taxas acima!

Procure hoje mesmo um médico para uma avaliação e solicite um hemograma com triglicérides e colesterol total para ver como anda sua saúde e fazer os devidos cuidados se for preciso ou mesmo se prevenir, depois procure um profissional da educação física habilitado para acompanhar você em um treinamento adequado. Afinal, com saúde não se brinca e somente profissionais da saúde é quem poderão ajudar você alcançar seus objetivos sem perder o foco (neste caso, o bem-estar).

Por Márcio Costa

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Alimentos redutores do colesterol

Talvez você tenha realizado seus exames de rotina e percebeu que seus níveis de colesterol apresentam-se um tanto quanto altos. Sim, é verdade, é bem provável que alguns de seus pratos favoritos não mais poderão ser consumidos – ou pelo menos terão que ser mais moderados – desde que muitos deles podem apresentar “gorduras ruins”. Mas sempre há alguns alimentos saudáveis que são também bons alimentos redutores do colesterol, como veremos a seguir!

Comecemos então por aquele que não é tão apreciado assim por todos, o alho A maior parte dos tipos de pratos – principalmente aqueles servidos no almoço e no jantar – podem receber alho como um ingrediente adicional. E talvez você esteja se perguntando por que alho é tão importante, bem, ele ajuda a reduzir os níveis de colesterol ruim, o colesterol LDL. E não se trata de senso comum: pesquisas científicas têm apontado e comprovado isso. Entretanto, os resultados provenientes do consumo em curto prazo não são muito duradouros, o que significa que você precisa incluí-lo em sua dieta como um novo ingrediente por muito tempo. E se possível, lembre-se que a melhor forma de consumir o alho é cru, ok?

A seguir, o próximo item de nossa lista é o salmão, um peixe muito popular. Muitos não o vêem com bons olhos, uma vez que é conhecido que ele é rico em gordura, mas é importante salientar que ele não é rico em “gordura ruim”. Além disso, ele apresenta altas concentrações de niacina, uma substância que contribui bastante para aumentar os níveis de colesterol HDL, considerado o colesterol bom. Ele é considerado um bom colesterol porque ajuda a transportar as gorduras (incluindo aqui o colesterol ruim) pelo corpo, de forma que ajuda a reduzir os níveis de colesterol ruim.

E o próximo item de nossa lista é uma bebida, consumida por muitos, mesmo sem se conhecer os seus benefícios (claro, quando consumida de forma moderada) para o nosso corpo: o vinho tinto. Quem deseja aumentar os níveis do bom colesterol e, assim, reduzir os níveis do colesterol ruim, encontrará no vinho tinto um importante aliado. Mas as pesquisas ainda não são conclusivas quanto aos benefícios quando consumido em um longo intervalo de tempo, entretanto já são conhecidos seus benefícios no consumo a curto prazo.

E você pode até não acreditar, mas até o chocolate faz parte desta lista. Todos consideram o chocolate sempre como sendo um vilão, uma vez que pode contribuir com o aumento do peso e, assim, com o desenvolvimento de uma vida menos saudável. O que muitos esquecem, entretanto, é que para toda regra sempre (ou quase sempre) há uma exceção, e aqui a exceção é o chocolate amargo. Chocolate amargo é conhecido por conter altas concentrações de flavonoides, responsáveis por auxiliar na redução dos níveis de colesterol LDL. E se isso só não basta, saiba que ele também contribui com a redução dos riscos de doenças cardíacas. Em outras palavras, dê adeus a outros tipos de chocolate e doces e diga olá ao chocolate amargo – mas lembre-se que ele ainda precisa ser consumido de forma moderada.

Pequenas mudanças em uma dieta pode levar a grandes resultados, quando realizadas de forma gradual e consistente. Sendo assim, incorpore estas sugestões ao seu cardápio e é bem provável que, ao longo do tempo, alcance sua meta de reduzir os níveis de colesterol!

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Alimentos que reduzem o colesterol

Quando você percebe que você precisa prestar mais atenção aos níveis de colesterol de seu corpo, pode ser a hora certa para começar a ler mais sobre alimentos que reduzem o colesterol. Enquanto pode ser verdadeiro que você precisará eliminar alguns de seus pratos favoritos se você costuma ter um estilo de vida não muito saudável, pode ainda haver algumas coisas interessantes a se consumir que são saudáveis – e surpreenderão você. Até mesmo alguns alimentos que podem ser considerados não saudáveis para outros propósitos podem trazer um grande benefício na tarefa de reduzir os níveis de colesterol.

Quase qualquer prato pode ser melhorado simplesmente acrescentando-se um ingrediente: alho. Alho pode ser adicionado a quase todo prato que você prepare, de ovos a vegetais refogados. E é importante compreender que alho pode ajudar a reduzir os níveis de colesterol LDL, isto é, o colesterol ruim. Testes têm mostrado que há redução dos níveis de colesterol desde que haja um consumo mínimo de alho diário pela pessoa. Mesmo que os resultados pareçam temporários, ao longo do tempo, tal consumo pode beneficiar e muito a sua saúde. Claro, como a maioria dos alimentos naturais, a melhor forma de consumi-lo é cru, e não cozido.

Outro alimento interessante é uma das variedades de peixes mais saborosas e populares que há: o salmão. Infelizmente, ele não é mais visto com bons olhos devido aos altos níveis de gordura que possui, mas a verdade é que não se trata de uma “gordura ruim”. De fato, os níveis de gordura saturada são muito baixos, enquanto possui altos níveis de niacina, que ajuda a aumentar o colesterol HDL que é o bom colesterol. Colesterol HDL é conhecido por melhorar a capacidade de transporte de gorduras pelo nosso corpo, o que contribui com a eliminação do colesterol ruim.

O álcool é frequentemente visto como algo que não deve estar presente em nossa dieta alimentar, entretanto o vinho tinto pode ser considerado uma exceção, principalmente quando o objetivo da dieta é reduzir os níveis de colesterol. Vinho tinto é famoso por aumentar o nível de colesterol HDL. Entretanto, não há provas conclusivas ainda de que seu consumo a longo prazo contribui significativamente para a redução do colesterol ruim.

E finalmente aqui vai o chocolate. Quem não pensa em chocolate como sendo algo que somente contribui para o aumento do peso ou uma vida menos saudável? Felizmente, há exceções para isso, como o chocolate amargo. Esse tipo de chocolate é rico em flavonoides, substâncias químicas que são conhecidas por reduzir os níveis de colesterol LDL em nosso sangue. Eles também contribuem reduzindo as chances de doenças cardiovasculares. Certifique-se, então, de trocar outros tipos de chocolate e doces pelo chocolate amargo, a fim de beneficiar-se de seu consumo.

Introduzir alguns desses alimentos em sua dieta alimentar pode não ser suficiente para garantir que os níveis de colesterol ruim estarão sempre baixos, mas com certeza ajudarão nessa tarefa de forma significativa. Aprenda então a gostar desses alimentos e é bem provável que você tenha uma melhor qualidade de vida sem abrir mão do bom sabor!

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS