Alimentação saudável para bebês

Os bebês são muitas das vezes esperados e amados antes mesmo de virem ao mundo. Após sua chegada, surgem uma série de preocupações com a saúde e a qualidade de vida de um ser tão frágil e ao mesmo tempo tão importante. A preocupação com a alimentação do bebê é sem dúvida comum entre os pais, isto porque sabe-se que ela é essencial para um crescimento e desenvolvimento saudável da criança. Nessa fase é muito perigoso que os bebês apresentem deficiência de algumas vitaminas e minerais que são essenciais ao seu desenvolvimento como é o caso do ferro e da vitamina A, por exemplo.

Do nascimento até o sexto mês de vida

Do nascimento até o sexto mês de vida o que deve predominar é a amamentação. A amamentação exclusiva até os seis meses completos de vida do bebê é essencial para a sua saúde. O leite materno tem sua constituição adaptada as condições fisiológicas do recém nascido que possui alguns sistemas do organismo ainda imaturos e não estão preparados para receber outros tipos de alimentos. Aliás, a inserção precoce de outros alimentos é um dos principais fatores responsáveis por causar alergias a determinados alimentos que foram oferecidos muito cedo à criança.

A amamentação exclusiva durante os seis primeiros meses auxilia a evitar diversos tipos de doenças e infecções na criança, por isso que ela é tão incentivada atualmente. Além disso, é importante frisar que a amamentação deve ser por livre demanda, isto é, o bebê deve ficar à vontade para mamar, não devem ser estipulados horário e tempo para que a criança possa mamar. Muitas mães alegam que possuem leite fraco pois a toda hora o bebê quer mamar, no entanto é normal que a todo momento o bebê sinta necessidade do leite materno pois este é o único alimento que é oferecido ao mesmo. Vale ressaltar que não existe leite fraco, o leite materno é suficiente para suprir as necessidades nutricionais do bebê sem agredir o seu organismo, no entanto é importante o acompanhamento pediátrico, que se necessário irá orientar quanto a suplementação de alguma vitamina ou mineral.

Quando não se pode oferecer leite materno ao bebê, como é o caso de mães que apresentam o vírus HIV, que fizeram cirurgias nos seios ou qualquer outra situação onde a possibilidade de amamentar seja comprometida, existem as fórmulas especiais de leite fortificado em ferro que devem ser oferecidos ao bebê. Nesse caso, a alimentação complementar tem início mais cedo baseado em um acompanhamento nutricional.

Após os seis meses de idade

O nutricionista ou pediatra que faz o acompanhamento da criança tem total liberdade para definir como e quando essa alimentação deve ser oferecida. Para a criança que esteva sendo amamentada ao seio, essa amamentação pode ser intercalada com sucos para aumentar a oferta de vitaminas e minerais, principalmente a vitamina C. O segundo passo é iniciar a introdução de papinhas doces feitas de frutas como pêra, banana, maçã; ainda pode ser acrescentado a elas biscoitos (maizena ou maria) ralados, geléia de mocotó entre outras receitas de papinhas que podem ser conseguidas com o nutricionista ou pediatra.

Após a aceitação dos sucos e das papinhas doces pelos bebês, pode ser fornecido ao mesmo o almoço. Nele, deve conter diferentes tipos de legumes como (abóbora, cenoura, batata, chuchu) além de carnes que pode ser bovina ou de frango. A presença da carne nas papinhas salgadas é essencial para a oferta de ferro, que é um mineral muito importante para a criança. A papinha deve ser amassada com um grafo ou passada pela peneira já que a criança não consegue mastigá-la.

Para aquelas crianças que não foram amamentadas ao seio, o processo de introdução de alimentos é feito mais cedo geralmente aos quatro meses, para isso um profissional de nutrição poderá orientar a melhor forma de fazê-lo.

É importante lembrar que os alimentos devem ser intercalados com a amamentação, no entanto os horários para a amamentação já podem ser estipulados pois nesse caso ela trata-se apenas de um complemento.

Alimentação saudável para os bebês

A alimentação saudável deve ser considerada desde o momento do nascimento, quando a mãe escolhe amamentar o seu bebê até os seis meses ela está contribuindo para que a alimentação dele seja saudável. A partir da introdução de novos alimentos é primordial dá preferência a frutas, verduras, legumes, sucos entre outros alimentos que contribuem para um crescimento saudável da criança. É importante lembrar que os filhos costumam copiar os hábitos dos pais, nesse caso é essencial que os pais possuam um estilo de vida saudável que sirva de exemplo para os seus filhos.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Email
Print